sábado, 26 de setembro de 2009

RP Made in Brasil

Recentemente li na resista Você S/A que a Bayer Crop Science, divisão de produtos para agro-negócios da gigante alemã, criou no Brasil um departamento de comunicação. Este novo departamento ganhou o comando da comunicação da empresa para a América Latina, resultado do alinhamento do Brasil com a estratégia global da corporação. Somos hoje o principal país da América Latina em termos de faturamento e negócios, foram detalhes como este que nos levou a ser a sede da região. Estas frases foram extraídas do discurso de Claudia David, gerente de comunicação na América Latina da Bayer Crop Science, recém promovida ao cargo à revista Você S/A.


Mas outras empresas também estão reforçando suas equipes de comunicação no Brasil e muitas delas trazendo pra cá responsabilidade da comunicação institucional da empresa, isto se deve ao fato de que no Brasil os setores de comunicação destas companhias têm se mostrado muito mais eficiente que em outros países e muitas vezes melhor que na matriz.

Esta notícia é recebida com muito orgulho pelos nossos comunicadores, em especial os Relações Públicas, que por muitas vezes se enrolam tentando explicar aqui no Brasil o que fazem, agora o mundo os vê com respeito e confiança devido ao bom trabalho à frente da comunicação.


Nestas empresas os salários para posições mais seniores giram em torno dos 15.000 reais, mais podem ser até maiores, se o cargo for executivo com nível de diretoria, com contatos internacionais e bilíngüe.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Senado



Temos em nosso país uma das estruturas mais democráticas do mundo, voto eletronico e direto, varias instituiçoes onde ficam nossos representantes eleitos, entre executivo e legislativo temos sete cargos entre federais, estaduais e municipais. dentre estes tantos temos os senadores com mandatos de oito anos estes políticos quase desconhecidos pela população, no entanto, conseguem nos dar uma conta que mais parece uma obra faraónica, só o senado nacional consome em um ano a bagatela de 2,7 bilhões de nossas suadas verdinhas.


Vamos pensar um pouco, por que temos que manter este gasto com o senado se já temos a câmara federal? não parece que estamos jogando 2,7 bilhões pelo ralo? nosso senado vota o que já passou por votação na câmara federal e discutir o que já foi discutido, bom se realmente isto é necessário, por que então não temos senado estadual e municipal?


O fato é que estando nosso país com tantos investimentos para fazer não deveria continuar a manter uma casa cuja fama não se faz pelos atos legislativos mas pelos tantos escândalos que é nada mais do que o pagamento por nossa confiança depositada nos votos, não dá pra continuar a investir em uma instituição onde gestão após gestão seus presidentes renunciam por envolvimento em mega-escândalos. pensando nisso se os representantes desta casa não nos passam segurança e confiança, o que esperar dos outros membros?


Sugiro o fim do senado e o fortalecimento da câmara federal que só se dará com uma reforma política adequada aos problemas do nosso país.


Boa noite e boa sorte!

sábado, 27 de junho de 2009

Sabor Solidário 2009

Alunos do 5º período de Relaçãoes Públicas da faculdade Anhanguera se solidarizam com o proximo e criam o evento Sabor solidário. Uma noite de caldos bate papo e muita musica boa. Confira algumas fotos deste evento que promete marcar um lugar definitivo no calendário de BH.

video


sábado, 13 de junho de 2009

Inovações tecnológicas e a era da velocidade


Tratar de novas tecnologias hoje parece fácil, pois estamos cercados dela, mas na verdade não sabemos até quando o que conhecemos como novo sobreviverá nesta sociedade onde a velocidade é quem dita regras, algo que acabou de chegar se torna obsoleto tão rápido que geralmente não tivemos tempo nem de comprá-lo, nas organizações não parece ser diferente, enquanto temos empresas que estão começando a se informatizar temos outras que já esperam o pós moderno para se atualizar, pois acreditam que tudo que se tem disponível não mais os atende como antes.


Com estas novas ferramentas instituímos novas formas de comunicação afetando o conjunto das relações sociais, não apenas as estritamente comunicacionais, mas em todos os níveis, na comunicação relações pessoais, interpessoais, no trabalho, nas instituições, na indústria... Não há hoje uma única força produtiva que não esteja, direta ou indiretamente, engajada em algum tipo de relação de comunicação digital. Esse estreitamento de relações e a velocidade cada vez maior com que as informações precisam ser compartilhadas fazem com que cada vez mais aparelhos e softwares sejam criados para facilitar esse processo. Exemplo claro disso é a introdução da TV Digital e de sites Wiki e da internet via rede elétrica que passa dos normais 10 mbps, para incríveis 60 mbps, para as grandes organizações que contam com comunicadores atualizados estas novas tecnologias são um prato cheio uma vez que facilitam seus trabalhos de forma incontestável.


Nestas organizações a chegada de novas tecnologias sempre significa economia praticidade e um passo a mais diante de organizações fechadas às novas tendências talvez por que inovações tecnológicas na maioria das vezes vão alem da implantação de um novo sistema operacional e atinge funcionários ou diretores quem já estavam acostumados a ver a organização caminhar do jeito de sempre.


De modo geral a comunicação digital e as novas tecnologias chegaram, pois todo que já tínhamos como ferramentas e conhecimento já estavam saturados e esta revolução tecnológica a cada momento só gera novas necessidades de coisas novas, pois trouxe com ela uma necessidade de velocidade e cada vez que esta velocidade aumenta, mais aumenta a necessidade de mais e mais velocidade, e uma vez experimentada estas novas tecnologias, como um vírus esta parece se tornar essencial e não se sabe como chegou aqui sem ela, daí a sensação de que todo o resto já se encontrava saturado.